UMA NOVA TRADIÇÃO DE NATAL?

Olá Mamãs!

O Natal está quase a chegar. Não sei como é com vocês, mas eu já ando a ouvir músicas de Natal – Michael Bublé (suspiro…), a pensar na decoração, e claro está nas prendas. Na verdade, já comprámos algumas prendas através de um site internacional, pois os preços estavam cerca de 40 euros mais baratos do que numa grande loja de brinquedos em Portugal! Para além de que já tenho algumas prendas compradas ao longo do ano guardadas especialmente para o Natal.

Se bem se recordam no post COMO POUPAR NO NATAL – 12 DICAS CRIATIVAS, eu recomendo comprarem as prendas de Natal durante o ano, aproveitando as promoções e saldos que as lojas fazem durante o ano, sem receios, sem stresses. Desta forma, quando nos aproximarmos do Natal, não teremos de gastar todo o nosso subsídio de Natal de uma só vez.

Se ainda não tiverem oportunidade de ler o post COMO POUPAR NO NATAL – 12 DICAS CRIATIVAS, ou se quiserem recordar-se das dicas que partilho convosco, cliquem na imagem que serão imediatamente encaminhados para o post COMO POUPAR NO NATAL – 12 DICAS CRIATIVAS.

ALGO QUE QUERO, ALGO QUE PRECISO, ALGO PARA VESTIR, ALGO PARA LER

Ja tinha ouvido falar disto num podcast. Curiosamente na semana passada recebi um email de uma mamã americana que também falava do mesmo. Pesquisei e não é que isto é algo que muitas famílias estão a fazer nos EUA? É uma forma de poupar no Natal, limitar o consumismo e fazer com que as nossas crianças deêm mais valor ao que realmente importa: a intenção e não a quantidade de prendas que recebem. Se isto já se passa em Portugal, sinceramente não sei. Não encontrei nada nas minhas pesquisas.

Ora bem, o que é então isto do ALGO QUE QUERO, ALGO QUE PRECISO, ALGO PARA VESTIR, ALGO PARA LER?

Esta é uma tradição que se resume em oferecer 4 prendas a cada elemento da família, desde que seja algo que queira, precise, para vestir e para ler.

Apenas 4 prendas? Mas os pequenos não vão ficar tristes por não receberem os brinquedos que querem? Possivelmente, e é por isso que nós cá em casa ainda não vamos incluir os pequenos nesta tradição, pois não iriam entender e até porque eles ainda não leêm!!! Mas futuramente sim, quando eles tiverem mais idade para entenderem que o Natal é mais do que prendas e brinquedos.

Mesmo assim, não se esqueçam que podem passar a lista / carta ao Pai Natal a outros elementos da família, e aí as crianças poderão receber outros presentes que realmente querem e que constam da lista deles.

E PORQUÊ LIMITARMO-NOS A 4 PRESENTES?

Existem 3 bons motivos para começarmos esta tradição. Ora vejam:

  1. Simplificar. A época de Natal é tão stressante e atarefada. Para além do trabalho e rotinas diárias em casa, temos ainda jantares de Natal, festas de Natal, seja da empresa e da escola dos pequenos; se a consoada de Natal for em nossa casa, temos ainda de nos preocupar com a ementa, fazer as compras, cozinhar, limpar, decorar… Enviar postais de Natal, responder a emails e mensagens de boas festas antes que as redes venham abaixo e não consigamos enviar nenhuma mensagem (acontece todos os anos com a Vodafone!). Se nos limitarmos a 4 prendas, iremos simplificar e muito a nossa ida às compras.
  2. Ensinar satisfação, gratidão e expectativas saudáveis. Quando falei com mamãs que já praticam esta tradição, elas disseram-me que viram uma diferença nas atitudes dos seus filhos, estão mais conscientes do que pedem e mais gratos quando recebem os presentes. Vocês sabem como é quando damos algo aos nossos filhos que eles não pediram, como roupa, e eles não ligam nenhuma aquilo. De acordo com as mamãs que falei, isto agora não acontece, pois os pais procuram dar aquilo que os filhos realmente querem. Outra coisa boa são as expectativas que criam, saudáveis e realistas, pois sabem o que pediram, têm uma lista mais reduzida, por isso na hora de abrirem os presentes não estão tão ansiosos por abrirem os presentes todos à procura de todas as coisas que pediram na carta ao Pai Natal.
  3. Menos coisas para deitar fora. Menos lixo, menos papel de embrulho, menos brinquedos para deitar fora, menos brinquedos para arrumar.

COMO FUNCIONA ESTA TRADIÇÃO?

Bem na verdade é muito fácil começar com esta tradição (ou pelo menos assim espero, visto que será o primeiro ano a pôr em prática com o pai).

O ideal é ir tomando nota das coisas que os pequenos vão pedindo ao longo do ano. Tirar uma foto e guardar na agenda, por exemplo. Coisas como brinquedos não faz muito sentido comprar com muita antecedência, porque os pequenos mudam de preferências rapidamente, ora agora gostam da Patrulha Pata, ora agora gostam dos PJ Masks, e também podem receber os brinquedos que querem nos aniversários ou na Páscoa. Por isso, acho que em relação a brinquedos o ideal é adiar, e depois perguntar-lhes se é realmente aquilo que querem.

QUERER

Bem esta é a categoria em que as crianças mais dispersam, porque elas querem tudo. Por isso é preciso perguntar-lhes qual o presente que elas querem muito muito muito muuuuuuiiiiito, por exemplo, uma bicicleta, uma playstation, etc.

PRECISAR

Esta categoria é mais complicada, porque na verdade nós mães achamos que nós é que sabemos do que eles precisam, e por norma a crianças acham essas prendas aborrecidas. Mas por exemplo, imaginemos que estão cansadas de acordar o vosso filho de 5 em 5 minutos, porque ele teima em não se levantar, então parece-me que ele precisa de um despertador, então porque não oferecer um despertador engraçado? Ou por exemplo o vosso filho toca algum instrumento musical, ou joga futebol e precisa de umas chuteiras novas?

VESTIR

Não! Meias e cuecas não! A não ser que sejam de Natal e divertidas. Procurem dar alguma coisa de que eles gostem mesmo. Jogam futebol? Equipamento novo. Vão sair no Ano Novo? Um vestido de passagem de ano. Adoram sapatilhas Vans? Ok, ficam servidos para o resto do ano (sim, porque pelo preço, tem mesmo de ser!).

LER

Ler é fácil e não é cá em casa. Para as crianças é fácil. Até ao momento somos nós que escolhemos os livros que lhes damos, se bem que às vezes o Martim pede algum livro pelo o que vê na capa e o Dinis quer todos aqueles que são pop-up, mas que obviamente estão fora de questão porque ele rasga-os todos!

Para o pai é dificil! Ele compra livros durante todo o ano. Ele devora livros durante o ano. É tão difícil comprar-lhe um livro. Aliás para lhe comprar um livro, tenho de levar uma lista de todos os livros que ele tem cá em casa ou corro o risco de comprar um que ele já tem!

Fiquem a saber que já perguntei ao pai o que ele quer para o Natal, resposta: Não preciso de nada. Mas eu não te perguntei o que é que precisas, mas sim o que queres.  Fiquei sem resposta…

O que acham desta tradição, Mamãs? Seria algo que estariam interessadas em seguir ou já fazem algo semelhante?

 

O melhor elogio que poderei receber é partilharem e fazerem like no meu artigo. Vá lá! Elogiem-me!
error0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *