Bem-vindo Sol!

O sol regressou este fim de semana, assim como o calor. Será que a Primavera veio para ficar?

Andamos o ano todo cobertos de roupa desde os dedos dos pés até às pontas das orelhas, e se tivéssemos umas máscaras de ski, também andávamos com o frio que esteve algumas noites.

As estações do ano estão tão baralhadas que já nem sabemos o que vestir e quando vestir. Se antigamente guardávamos a roupa de inverno à chegada da primavera / verão, agora não faz qualquer sentido fazê-lo, pois a qualquer momento podemos precisar de uma camisola de malha e de umas botas por cima de um top e de uns calções.

O Martim vibra com o sol. Quer dar caminhadas, brincar no jardim, plantar no quintal dos avós, e sempre que aparecem uns raios de sol, lá vai ele, todo contente, para a rua. Já o Dinis ainda não tem noção que existe um mundo brilhante e vibrante lá fora. Quando sai de casa é sempre de carro, e se sairmos a pé, acaba por adormecer no carrinho de passeio.

Caminhada da Família

Este sábado, a Associação de Pais da Escola Espinho 3 organizou uma Caminhada da Família, seguida de jogos e almoço.

Como o pai estava a trabalhar de manhã, apenas eu e o Martim fomos à caminhada. O pai foi ter à escola depois do trabalho e o Dinis ficou com os avós, pois estava muito calor e seria muito aborrecido para ele.

A caminhada não foi muito grande, mas debaixo do sol e calor foi desgastante para as crianças (e graúdos).

Após a caminhada, o Sporting Clube de Espinho esteve a animar as crianças com actividades / jogos de corrida e lançamento de peso. Quem quisesse podia participar e no fim ganhariam rebuçados. Primeiro uma actividade saudável e depois uma injecção de açúcar!

O Martim optou por fazer as actividades fora da pista juntamente com um amiguinho. Eu juro que não sei onde é que ele vai buscar tanta energia. Eu já estava de rastos apenas da caminhada e do sol…

Chegou a hora do almoço e lá fomos nós, juntamente com o pai. Uma bifana e um caldinho verde. Muito me espantou o Martim que comeu a bifana. O caldo verde foi para os pais.

Apesar de ser uma boa iniciativa por parte da associação, os pais não aderiram à caminhada. Da turma do Martim apenas foi ele e mais dois meninos, e um deles estava doente. Talvez por ser fim de semana do dia da mãe e dia de jogo decisivo.

Caminhar faz bem e recomenda-se

Assim que os nossos filhos começam a caminhar, sentimos um alívio imenso mas também sabemos que começam novos trabalhos.

Se por um lado é um alívio não termos de andar sempre com os pimpolhos ao colo, por outro sabemos que temos de andar sempre atrás deles porque nos fogem para a rua, mexem onde não devem e chegam a lugares que antes não chegavam. É um mundo novo para eles. Liberdade total (ou assim pensam).

De acordo com a Associação Portuguesa contra a Obesidade Infantil (APCOI), “Em Portugal, 28.5% das crianças entre os 2 e os 10 ano têm excesso de peso, entre as quais 12.7% são obesas”.

1 em cada 3 crianças tem excesso de peso.

Como sabem, tem sido nossa preocupação termos uma alimentação mais saudável e mais variada. Mas não é só a alimentação que temos de mudar. Temos também de ser mais activos. E se chuva não incentiva à prática de exercício físico, o sol, pelo contrário, incentiva e muito.

O Martim sempre foi um bebé gordinho, mas também sempre foi alto. Assim que começou a caminhar e entrou para a piscina, ficou mais “elegante”. O Dinis também é um bebé gordinho (boa boca), mas um pouco mais pequenino do que o irmão quando tinha a mesma idade.

O Martim gosta muito de caminhar. Costuma fazer cerca de 3 quilómetros (ida e volta) com os avós para ir comprar pão a outra freguesia. E vai sempre ao chão! E espero que o Dinis vá pelo mesmo caminho.

As caminhadas são, portanto, uma boa opção para a nossa família e são gratuitas!

Dicas para tornar as caminhadas mais divertidas

Se caminhar não faz muito o estilo da vossa família, mas se tal como nós preocupam-se com a saúde da vossa família, aqui ficam algumas dicas para tornarem as caminhadas mais divertidas (devem ser adaptadas à disponibilidade e gostos de cada família):

  • Caminhada familiar – podem agendar uma caminhada familiar todas as semanas, de preferência de 30 a 60 minutos, 3 vezes por semana;
  • Eventos – podem participar em caminhadas organizadas na vossa freguesia ou cidade mais próxima. No site Run Porto ficam a conhecer as corridas e caminhadas agendadas para este ano;
  • Cão – se ainda não têm um cão, porque não arranjar um? Os cães precisam de passear e esta pode ser uma actividade feita em família;
  • Pedrómetro – podem comprar um pedómetro para as crianças e tornar a caminhada de casa para a escola e vice versa mais divertida, tentando adivinhar quantos passos são ou estipular um objectivo diário ou semanal de passos a dar;
  • Explorar a natureza – porque não visitar o parque da cidade e outros jardins? Muitos deles têm circuitos e equipamentos para as pessoas se exercitarem e as crianças adoram;
  • Usar mapas – porque não traçar o percurso num mapa e ensinar a criança e ler o mapa e ser ela a descobrir o caminho?
  • Explorar a cidade – fazer uma lista de locais que nunca visitaram e agendar um por semana, sendo que é obrigatório visitá-lo a pé;
  • Variar os percursos – as crianças aborrecem-se rapidamente se o percurso for sempre o mesmo, por isso é bom variar os lugares a visitar e as coisas a conhecer.

A nossa experiência

Nós por aqui vamos manter as caminhadas. Para além de vivermos num sítio calmo (costumo dizer que vivemos juntos das vaquinhas e dos memés), estamos perto da praia de Espinho e da cidade do Porto. Temos muito para ver e muito por onde caminhar.

Já temos a nossa lista de sítios a visitar e já comecei a elaborar mapas para o Martim ler.

O Dinis já foi iniciado nas caminhadas (ao colo, claro). No dia da Mãe fomos a Serralves. Mas isso é outra história.

E vocês, mamãs, o que costumam fazer com os vossos pimpolhos?

O melhor elogio que poderei receber é partilharem e fazerem like no meu artigo. Vá lá! Elogiem-me!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.