Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/customer/www/maereal.pt/public_html/wp-content/plugins/convertkit/lib/class-convertkit-api.php on line 1315

O Carnaval em 2021 vai ser vivido de forma diferente, porque a pandemia assim nos obriga.

No ano passado tivemos a sorte de festejar o Carnaval nas vésperas do país fechar. Este ano não será bem assim.

NO CARNAVAL NINGUÉM LEVA A MAL

Ora aqui está um provérbio que não poderia estar mais longe da verdade, principalmente nesta altura, em que estamos impedidos de sair de casa, em que uns cumprem o estado de emergência enquanto que outros brincam com o mesmo, em que as vacinas andam a ser desviadas para não-prioritários… Enfim, se há altura em que devemos levar a mal é agora.

Mas isso não significa que não possamos brincar ao Carnaval, muito menos nós mães com crianças que tanto anseiam por este dia para se fantasiarem do seu super herói preferido, ou da sua princesa preferida.

Uma vez mais, como mães iremos fazer o sacrifício de proporcionar novas experiências aos nossos filhos de forma a eles não sentirem falta dos desfiles de Carnaval com os seus coleguinhas da escola.

E quando me refiro a sacrifícios, refiro-me a criar atividades em casa para os entreter.

AS MINHAS MELHORES RECORDAÇÕES

Uma das recordações que mais guardo com carinho da minha infância é festejar o Carnaval. Aliás não é uma recordação. São várias recordações.

Eu fui criada no restaurante da Piscina Solário Atlântico em Espinho. Os meus avós paternos exploravam aquele espaço, por isso era lá que eu passava os meus dias e noites, todos os meses, quer fosse Verão ou Inverno.

Nesta altura fazia-se bailes e Carnaval. Para quem não sabe, a piscina tinha dois salões: o da minha avó e outro no piso de cima, ao qual tínhamos acesso pelas escadas interiores da piscina. Por isso, sempre que havia baile de Carnaval (ou outro qualquer), lá andava eu, entre os dois salões, a divertir–me ao som das músicas de carnaval brasileiras.

Eu simplesmente adorava!

Mas para além destes bailes, o que eu gostava mesmo era dos desfiles de Carnaval das escolas.

A minha mãe fazia-me sempre os disfarces de Carnaval.

Era tão divertido!

Nesta altura, todos participavam, e com vontade, mesmo os professores (vocês sabem porque eu digo isto!). Recordo-me da minha mãe fazer fantasias para professoras e funcionárias.

Era mesmo divertido!

Entretanto, em Espinho deixou-se de fazer o desfile de Carnaval das escolas do concelho. Desconheço o motivo. Tenho pena!

Nos últimos anos, as escolas optam por fazer o desfile nas mediações das escolas, dentro das escolas, ou até mesmo com um pequeno desfile na cidade.

Mas nada como no meu tempo, em que se juntavam todas as escolas do concelho.

VAMOS BRINCAR?

Como referi, no ano passado as crianças ainda festejaram o Carnaval. O mundo já vivia a pandemia, mas Portugal ainda não tinha tido qualquer caso identificado.

Infelizmente a situação mudou em Portugal e o Carnaval em 2021 vai ser vivido dentro de casa, com aulas online e serpentinas à mistura.

Cá em casa começamos a preparar o Carnaval (a par do dia dos namorados) mal as escolas fecharam. Esta era uma forma de os manter ocupados, com atividades diferentes, usando materiais diferentes.

Para além de decoração, decidimos fazer um Baile de Carnaval (e quando digo decidimos, refiro-me a mim, obviamente), assim parecido com aqueles que eu vivi na minha infância.

Para o Baile de Carnaval vamos precisar de:

  • disfarces, bem, vamos usar os mesmos do ano passado, pois achei que não fazia muito sentido comprar roupa nova quando vamos ficar por casa, e eu sei que o Martim queria muito mostrar a roupa nova de Carnaval. Para o ano… fingers crossed!
  • música, abençoado youtube que nos irá fornecer toda a música de Carnaval brasileira para este baile;
  • luzes, que já temos do @lidlportugal, compradas para a passagem do ano (possivelmente os miúdos vão querer o microfone também)
  • comida, muito petiscos, daqueles que os pequenos gostam, para finalizar com o preferido: batatas fritas com surpresa.

Mas claro que este baile só se realiza depois da aula online do Martim, que é até às 15h. Depois daí, bailarico a tarde toda (ou assim espero).

(À noite, a mãe vai estar em direto com a @np_fotografia numa live sobre mães em confinamento).

 

O melhor elogio que poderei receber é partilharem e fazerem like no meu artigo. Vá lá! Elogiem-me!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.