Dentes

Os primeiros dentinhos do Dinis surgiram entre os 6 e os 8 meses. Quase não nos apercebemos. Algum choro, muita baba, alguma irrequietação, mas nada de que não estivessemos à espera.

Pensámos que iria ser como o Martim. Quase nem demos pelos dentes nascerem. Pelo menos os pais não se recordam. Mas, possivelmente, os avós se lembrarão melhor do que nós (é incrivel como a memória deles é melhor do que a nossa!)

Entretanto, o Dinis ganha dois dentinhos e fica por aí. Bem se babava e mordia tudo o que podia, mas mais dentes…. nada.

A semana passada foi o desespero.

Choro

Desde segunda feira passada que o Dinis anda desesperado com os dentes incisivos centrais superiores. Dorme mal, come pouco, chora muito…. Não deixa que lhe toquem na gengiva. Cospe a chupeta. Nem a bolachinha e o pão que ele tanto gosta de comer. O pai diz que o Dinis andou a acumular comida na barriguinha (a chamar-lhe gordo!) para agora passar fome 🙁

Durante o dia anda aborrecido. Tanto está distraído a brincar, como de repente começa a chorar a pedir colo, mas ao mesmo tempo tenta sair do nosso colo.

Custa tanto vê-lo passar por isto. Penso que todos nós já teremos passado por uma dor de dentes e sabemos como é doloroso. Imaginem para um bebé…

Noites mal dormidas

Se durante o dia o Dinis não consegue dormir, a noite não é exceção.

Aborrecido como está, quer ir para a cama cedo. Acaba por adormecer no meu colo e mal o pouso, ele acorda. É difícil cair no sono profundo. Poucas horas depois acorda a chorar, desesperado. Tentamos dar-lhe o leitinho ou a chupeta, e ele recusa. Damos Ben-u-ron, e passado cerca de meia hora, acalma-se e acaba por adormecer. Consegue dormir umas 6 horas até que acorda com fome.

E tem sido assim desde segunda feira passada.

E como se não bastasse, temos o Martim que também teima em acordar de noite, ora porque fez xixi, ora porque teve um pesadelo, ora porque simplesmente quer vir para a nossa cama.

No meio de tudo isto, os pais não dormem, apenas fecham os olhos. Não descansam, apenas se deitam. E o despertador toda. Está na hora de levantar.

Atualização:

O dentinho incisivo central esquerdo superior já rompeu. Mas o direito ainda não.

Menos baba. Menos choro. Menos aborrecimento.

Quando nascem os primeiros dentes?

Os dentes do nosso bebé não são visíveis no nascimento, mas eles já existem debaixo das gengivas.
Os dentes primários começam a formar-se por volta da 6ª semana de gravidez e começam a mineralizarem-se – a formarem a dentina e o esmalte – por volta do 3º ou 4º mês de gravidez.

Entre os 3 meses e os 12 meses, os dentes do bebé começam a romper pela gengiva.

1 em cada 2000 bebés nascem com dentes. São chamados os dentes natais.

Há bebés que com 12 meses ainda não têm os primeiros dentes. Mas as mamãs não se devem preocupar. O desenvolvimento varia de bebé por bebé. No entanto, se por volta dos 14 / 15 meses o bebé ainda não tiver dente nenhum, deverão falar com o pediatra.

Eventualmente, os bebés ficarão com 20 dentinhos.
Por volta dos 6 anos, os dentes de leite começam a cair, para dar lugar aos 32 dentes definitivos.

Sintomas

O romper dos dentes pode ser doloroso para os nossos bebés, e também para a nossa família.
Se conhecermos os sintomas, poderemos ajudar o nosso bebé com a dor e o desconforto.

Sintomas frequentes:

  • Febre moderada (menos de 38 graus)
  • Aumento da baba
  • Nariz a pingar
  • Menos apetite para alimentos sólidos

Sintomas comuns mas menos frequentes:

  • Morder mais
  • Babar muito
  • Irritação da pele do rosto
  • Esfregar as gengivas
  • Esfregar as orelhas
  • Mamar
  • Irritabilidade

Sintomas não associados com o nascer dos dentes, logo contactar o pediatra:

  • Febre acima dos 38 graus
  • Menos apetite para alimentos líquidos
  • Irritação da pele para lém do rosto
  • Tosse e congestão nasal
  • Diarreia incontrolável
  • Vómitos incontroláveis
Mapa dos dentinhos de https://www.cheekychompers.pt[/caption%5D

Para mais informações, consultem os seguintes sites:

O Meu Bebé

Cheeky Chompers

Tua Saúde

Saúde CUF

Orajel

Healthy Children

Health Line

O melhor elogio que poderei receber é partilharem e fazerem like no meu artigo. Vá lá! Elogiem-me!
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *