Outono que não é Outono

Vocês sabem que eu adoro o Outono. Adoro o frio! Adoro as folhas amarelas das árvores espalhadas no chão! Adoro ter as tensões controladas em vez de baxas como acontece com o calor:) Vocês sabem disso. Já vos contei tudo aqui Bem-vindo Outono!

O que eu não adoro e este Outono que não é Outono. Frio extremo! Chuva extrema! Ora está frio e depois vem o calor, ora está a chover torrencialmente e lá vem o sol… Não sei como é convosco, mamãs, mas para mim torna-se muito complicado decidir o que vestir aos miúdos. Até porque o tempo onde moramos costuma ser diferente do tempo onde fica a escola do Martim, ou as casas das avós, e apenas moramos a 10 minutos de distância. Por isso, não é de estranhar que às vezes as crianças saiam de casa à vontade para depois chegarem a Espinho e vestirem os casacos, mantas, cobertores e se possível ainda levam o termoventilado com elas…

Ranho, tosse e febre

Foi assim que o Martim começou. Com ranhoca. Depois lá veio a tosse acompanhada de expectoração, e depois a febre.

Para a tosse, o Martim andou a tomar o Grintuss (passo a publicidade). Um xarope que acalma a tosse e é feito co ingreientes proveninentes de agricultura biológica, nomeadamente o mel. Para mais informações sobre este xarope, clicar aqui.

Já nao era a primeira vez que o Martim tomava este xarope, mas parece que desta vez a tosse não passava. A tosse não passava porque o organismo do Martim queria expulsar a expectoração, coisa que o Martim não queria.

Depois de duas semanas assim, veio a febre. Como sabem, não devemos correr logo para o hospital ou para o pediatra em caso de febre. Devemos sim:

  • Vigiar o aparecimento de sinais de gravidade.
  • Despir ou diminuir a quantidade de roupa.
  • Oferecer líquidos, em pequenas quantidades de cada vez, várias vezes.
  • Com temperatura superior a 38ºC axilar e desconforto associado, administrar um antipirético, utilizando de preferência só com um medicamento, o paracetamol. Apenas se a febre reaparecer com intervalos inferiores a 6 horas, se deve intercalar outro fármaco, como o ibuprofeno.
  • Se a criança tem menos de 3 meses, procurar assistência médica imediata.
  • Nas crianças mais velhas, se não aparecerem outras queixas, pode-se aguardar 3 a 5 dias antes da avaliação médica.

Fonte: CUF

Demos Ben-u-ron ao Martim e depois tivemos de intercalar com o Brufen, coisa que nunca tinhamos dado ao Martim, porque a febre subia 4 horas depois de te tomado o Ben-u-ron.

48horas depois foi preciso levar o Martim ao hospital, porque a febre já não passava, nem com o Ben-u-ron, nem com o Brufen. E eu não me encontrava com ele 🙁

Nas Urgências

Eu ia a caminho de Lisboa, e o pai teve de levar o Martim ao hospital, enquanto os avós ficaram com o Dinis em casa (que também estava ranhoso e com muita tosse, mas isso é outra história).

Nas urgências, mediram a temperatura do Martim e oscultaram-no. Depois, ele foi fazer um raio-x e verificaram que tinha uma infeção respiratória no pulmão esquerdo.

O Martim teria de tomar antibiótico durante 10 dias – Clavamox, manter-se resguardado e afastado do Dinis – como se isso fosse possível.

A verdade é que o antibótico fez efeito, e depois de uma semana fechado em casa com a mãe, o Martim está muito melhor. Ainda um pouco ranhosito e de vez em quando espirra, mas na segunda feira já foi para a escola. Tinha saudades dos amiguinhos.

Infeções respiratórias

As infeções respiratórias são comuns nas crianças e podem ser causadas por virus ou bactérias. Podem ser rinites, otites, faringites, adenoidites, amigdalites, laringites, traqueobronquites, bronquiolites, pneumonias, e é normal que aconteçam uma vez por ano. A tendência é desaparecerem / diminuirem com a idade.

Normalmente, as infeções respiratórias começam com a congestão e corrimento nasal, a tosse, dores de garganta e no corpo, fadiga e febre. Estes sintomas aparecem 1 a 3 dias após a exposição ao virus ou bactéria.

Como evitar

É muito difícil não ficarmos doentes neste altura do ano, principalmente as crianças. Mas existem algumas dicas que podemos seguir para evitar isso, tais como:

  • Lavar bem as mãos
  • Evitar ambientes com muitas pessoas e locais fechados
  • Tomar a vacina da gripe
  • Mantermo-nos hidratados
  • Descansar
  • Manter a humidade no ar (ter atenção à lareiras e aquecedores – ter sempre uma janela aberta)
  • Usar antibióticas apenas prescritos pelo médico
  • Tomar vitamina C (comer legumes e laranjas)

E o Dinis?

Durante todo este “processo”, o Dinis também se encontrava (e encontra-se) constipado, com ranhoca e tosse. Já fomos à médica, mas os pulmões como estão limpos e ele não apresenta qualquer sintoma que obrigue a tomar antibiótico (come, está em disposto, não tem febre, não tem ratinhos nos pulmões….), apenas nos limitamos a fazer uma nebulização à noite para ajudar a soltar a expectoração.

Já a mãe, anda a Cêgripe 🙁

Sejam Reais!

Lívia 

O melhor elogio que poderei receber é partilharem e fazerem like no meu artigo. Vá lá! Elogiem-me!
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *